Telefone62 3265-0400
Busca
Pacientes
Médicos e Profissionais de Saúde
médicos e profissionais de saúde » artigos

Linfomas em crianças e adolescentes

Publicado em : 28/09/2018

Linfoma Hodgkin pediátrico é o segundo Tumor mais frequente em crianças no Brasil e no estado de Goiás , representando 15 % dos tumores na infância.

Linfoma Hodgkin pediátrico apresenta um aumento de 19% na cura desde 1969 até o presente.

Sinais de alerta para este tipo de linfoma é a presença de aumento progressivo dos linfonodos por mais de 20 dias , massa linfonodal em abdome ou em mediastino anterior( tórax) , pode ter outros sintomas tais como: febre, perda de peso , sudorese excessiva e prurido em pele sem melhora. O acometimento extranodal mais comum é medula óssea, pulmão, fígado e osso.

Para o diagnostico é necessário a biópsia do linfonodo íntegro com anatomopatológico e imuno-histoquimica

O tratamento é com quimioterapia e alguns casos radioterapia.

Linfoma Hodgkin é o tumor que apresentam maior sobrevida em crianças com câncer . A sobrevida livre de doença em 5 anos encontra-se entre 70-90% conforme o estadiamento e a resposta á quimioterapia. Isto quer dizer que o protocolo latino americano, os quais seguimos no serviço, apresenta resultados finais de uma taxa de sobrevida relativa de até 94% em cinco anos em crianças com Hodgkin .

O Linfoma Não Hodgkin (LNH) é a quarta patologia maligna em crianças e adolescentes.Possue duplicação celular muito mais rápida que os linfomas de hodking, portanto a história clínica de velocidade de crescimento da massa é de semanas.

O linfoma linfoblástico é responsável por 25% a 30% dos linfomas em crianças. É mais comum em adolescentes, sendo que a incidência em meninos é cerca de duas vezes maior do que nas meninas. Os linfoma linfoblástico são de linhagem T (LLT) na sua grande maioria (mais que 75%). Comprometem o mediastino em mais de 80% dos casos, enquanto os linfomas de linhagem B, menos frequentes tem várias localizações primárias, incluindo linfonodos periféricos, pele e osso. O pico de incidência está no adolescente e adulto jovem.

O linfoma de Burkitt, também conhecido como linfoma de células pequenas não clivadas, representa cerca de 40% dos linfomas não Hodgkin em crianças. É mais frequente em meninos com idade entre 5 a 10 anos.

Os Linfomas de Grandes Células iniciam-se nas formas mais maduras das células T ou B, podendo crescer em qualquer parte do corpo. Eles não são tão susceptíveis de se disseminarem para o cérebro ou medula óssea, nem crescem mais rapidamente do que outros linfomas em crianças. Estes linfomas tendem a ocorrer com mais frequência em crianças maiores e adolescentes.

Para o diagnostico é necessário a biópsia do linfonodo íntegro ou da massa acometida com anatomopatológico e imuno-histoquimica

Para todos os tipos de Linfoma Não Hodking o tratamento é quimioterapia .

Segundo o Protocolo da Sociedade Brasileira de Oncologia Pediátrica (SOBOPE) A sobrevida livre de evento (SLE) de 86,7% nos estágios I e II e de 64,3% nos estágios III e IV .Para LNH tipo B , primário de mediastino a SLE em três anos foi de 90% e para pacientes com Burkitt e Linfomas difusos de Grandes Células entre 84%- 92% conforme o estadiamento.

Estamos aqui no Cebrom para ajudar todos os profissionais que necessitarem de mais informações, entre em contato conosco.

DRª. Leandra Queiroz

CRM 12561

Oncol. e Hematologia Pediátrica

CEBROM Medicina Oncológica

download

Ética em Pesquisas com Células Tronco

Autor: Wilmar José Manoel
22/07/2013
download

Prevenção de Infecção em Prostatectomia Radical.

Autores: Adriano Augusto Peclat de Paula; Luciana Peclat de Paula Álvares Correa; Antonio Gomes Franqueiro
17/07/2013
download

Visão do Radioterapêuta no Linfonodo Sentinela pós Quimioterapia Neoadjuvante

Autora: Luciana Peclat de Paula
17/07/2013
« voltar
Newsletter
desenvolvido por
5ª Avenida nº180, Setor Universitário, Goiânia - GO.
62 3265-0400
Rua T-55 nº 741, Setor Bueno, Goiânia - GO.
62 3933-0200