Telefone62 3265-0400
Busca
Pacientes
Médicos e Profissionais de Saúde
quimioterapia » orientações aos pacientes

Efeitos Colaterais

Efeitos colaterais

São efeitos desagradáveis ou nocivos que podem ocorrer durante o tratamento. Estes efeitos não são obrigatoriamente apresentados por todas as pessoas que fazem quimioterapia, uma vez que dependem tanto do tipo de medicamentos utilizados quanto da forma que o organismo responde ao tratamento. Assim, alguns pacientes podem apresentar efeitos colaterais mais severos enquanto outros podem apresentar sintomas de forma branda, ou mesmo não apresentar sintoma algum.

De um modo geral, a maioria dos sintomas desaparecem à medida que o paciente vai se distanciando do final das últimas sessões. Dentre as alterações mais comumente apresentadas destacamos:

Náuseas/ vômitos: alguns remédios utilizados produzem uma irritação nas paredes do estômago e intestino, causando enjoo e/ou vômitos, esses sintomas ocorrem principalmente no dia da infusão, podendo se prolongar por até quatro dias. A intensidade varia de acordo com o organismo do paciente e com o tipo de quimioterapia utilizada. Se os vômitos persistirem por mais de 8 horas, o médico deve ser avisado para evitar desidratação.

Feridas na boca (Mucosite): alguns quimioterápicos podem provocar aparecimento de feridas parecidas com aftas na boca, irritação nas gengivas e na garganta.

Febre: alguns dias após a quimioterapia, há uma diminuição temporária das defesas do organismo, que fica predisposto a contrair mais facilmente infecções por vírus, bactérias e fungos. A febre é um sinal de alerta para a existência de infecções no organismo. Nessa situação, o médico deve ser imediatamente avisado, para que possa iniciar o tratamento adequado.

Diarreia: algumas drogas quimioterápicas podem causar diarreia em maior ou menor intensidade dependendo da reação do organismo. Se ela persistir por mais de 24 horas, o paciente deverá obter orientação medicação. Nos casos menos intensos, algumas medidas podem ajudar:

  • Procurar manter uma alimentação mais líquida (chás, água, água de coco e sucos) esses líquidos devem ser bebidos em pequenas quantidades e grande frequência, para manter-se hidratado;
  • Evitar ingerir leite e derivados;
  • Procurar fazer pequenas refeições, evitando alimentos gordurosos e frituras.

Constipação intestinal (prisão de ventre): Algumas medicações quimioterápicas podem causar constipação, isso também pode acontecer se você estiver menos ativo ou se sua dieta tiver falta de líquido e fibra suficientes. Caso seu intestino não funcionar dentro de 2 a 3 dias entre em contato com seu médico ou com a equipe de enfermagem.

Queda de cabelo (alopécia): algumas drogas quimioterápicas atingem o crescimento e a multiplicação das células que dão origem ao cabelo, podendo provocar a queda de cabelos, de forma total ou parcial. Não se pode prever exatamente como e em que proporção os cabelos serão afetados, porém é importante lembrar que a queda é geralmente temporária; o processo de nascimento do cabelo se reinicia logo após o término da quimioterapia, e em alguns casos, ainda durante a quimioterapia. Algumas vezes, o cabelo pode crescer com uma textura ou cor diferente.


Alterações de pele e unhas: dependendo do tipo de quimioterapia, o paciente pode apresentar alterações na pele, como: vermelhidão, coceira, descamação, ressecamento e manchas quando exposta aos raios solares. As unhas também podem apresentar escurecimento e rachaduras. Alguns desses efeitos podem ser amenizados pelo próprio paciente, que deverá manter a pele limpa, fazer uso de hidratantes, usar protetor solar fator 30 diariamente, evitar exposição ao sol das 10 ás 16 horas e utilizar calçados confortáveis. Geralmente as alterações desaparecem após o término do tratamento.

 

« voltar

 

Newsletter
desenvolvido por
5ª Avenida nº180, Setor Universitário, Goiânia - GO.
62 3265-0400
Rua T-55 nº 741, Setor Bueno, Goiânia - GO.
62 3933-0200